Logo We Love Beer
Curiosidades
Harmonizando cerveja com chocolate

Harmonizando cerveja com chocolate

Harmonização não é uma ciência exata. Combinar alimentos e bebidas para produzir sensações e sabores específicos quando degustados juntos é uma atividade que está entre a técnica e a arte. Envolve questões como as características da comida e da bebida, o clima do momento, a experiência que se quer provocar e, claro, o gosto pessoal.

A cerveja nos dá um grande número de possibilidades de harmonização graças à diversidade de matérias-primas e técnicas utilizadas em sua fabricação, o que produz sabores e aromas diferentes para cada caso. Podemos até dizer que é possível harmonizar cerveja com tudo, desde que você escolha a cerveja certa para cada tipo de prato.

No caso dos chocolates não é diferente. Com a proximidade da Páscoa, nosso apetite por essa iguaria - que, vejam só, também é um alimento fermentado. Além disso, principalmente nessa época do ano, há inúmeras variações de chocolate, doces à base do alimento e preparos diferentes.

Mas, então, como combinar cervejas e chocolates? Vamos falar disso, sim, mas primeiro, é necessário entender algumas diretrizes básicas da harmonização.

Como harmonizar

Para ter uma boa harmonização, precisamos fazer alimento e bebida interagirem para ressaltar, esconder, atenuar ou reforçar características de sabor e aroma. Podemos chegar até ao ponto de criar um terceiro sabor com base na combinação dos dois anteriores.

Mas para que funcione, temos que primeiro observar a intensidade de cada elemento. Cervejas leves devem ser combinadas com pratos leves, assim como as intensas devem fazer par com alimentos também mais fortes. Caso essa primeira diretriz não seja levada em conta, um pode se sobressair ao outro e a harmonização se perde.

Depois, há basicamente três formas de harmonizar: por semelhança, contraste e complementação. No primeiro caso, buscamos no alimento e na bebida elementos semelhantes de sabor que possam se reforçar mutuamente. É o que se faz ao buscar cervejas de malte torrado, que lembram chocolate, como as do estilo Schwarzbier, para combinar com chocolate ao leite. A bebida já tem notas que lembram chocolate, reforçando o sabor do alimento.

A segunda forma é o contraste. Aqui se busca elementos diferentes que interajam de forma a se eliminarem mutuamente ou se reforçarem na combinação. São vários os contrastes possíveis, já que há vários tipos de sabores que interagem previsivelmente. Ao colocar uma cerveja do estilo Porter, por exemplo, com um chocolate meio amargo temos alguns deles. Além da semelhança de aromas que vimos acima, o amargor dos maltes torrados se equilibra com o dulçor do chocolate e a gordura do alimento também contrasta com o álcool e carbonatação da cerveja.

Por fim, ainda é possível trabalhar complementações. Aqui colocamos combinações possíveis e já consagradas em outras situações. Se, por exemplo, usarmos chocolate branco com uma cerveja com frutas, como uma Fruit Lambic, veremos que a acidez da cerveja, álcool e carbonatação eliminam a gordura e dulçor do alimento, fazendo com que a fruta da cerveja se ressalte e complemente a combinação.

Nossas dicas

Para você testar esses princípios, deixamos duas sugestões. A primeira é a brasileiríssima Xingu Original Black, uma cerveja escura do estilo Sweet Stout que traz notas que lembram café e principalmente chocolate ao leite. Nossa sugestão é que você harmonize por semelhança com uma bela trufa, também de chocolate ao leite.

Já a tradicional cerveja irlandesa Murphy’s Stout, uma Irish Dry Stout, tem notas de café expresso, chocolate meio amargo além de um amargor acentuado na boca. Barras de chocolate meio amargo ou mesmo um brownie de chocolate com sorvete de creme podem ficar fantásticos aqui. Além de semelhança de aromas, há um contraste entre doce e amargo, álcool e carbonatação com a gordura de um chocolate com um percentual mais alto de cacau.

Compartilhe